Saiba como ser uma liderança engajada com a igualdade de gênero

Publicado em: 5 de janeiro de 2022

Categoria: Liderança

Publicado por: Monica Vasconcelos


Após quase dois anos do início da pandemia da Covid-19, as mulheres estão ainda mais esgotadas do que em outros períodos – e cada vez mais do que os homens. Devido ao estresse e à exaustão, uma em cada três profissionais consideraram trocar o emprego atual por um com menos responsabilidade ou abandonar completamente o mercado de trabalho. Os dados fazem parte do relatório Women in the Workplace 2021 feito pela McKinsey e LeanIn.org.

“A pandemia deixou as coisas claras: a vida é preciosa. Não dá para gastar o tempo em um trabalho que você odeia, onde se sente desvalorizada, é mal paga e se sente desmotivada. Estamos vendo uma grande reformulação do significado do sucesso. Ele não é mais o título impressionante, o escritório glamoroso ou receber um grande bônus. Trata-se agora de ter mais flexibilidade para ir atrás das nossas paixões e participar ativamente da vida familiar”, diz Shelley Zalis, CEO da The Female Quotient, em artigo publicado pela Fast Company.

Ela reforça ainda que, para manter os melhores talentos dentro das empresas, principalmente quando se trata da força de trabalho feminina, é necessário parar de fazer as coisas da maneira como sempre foram feitas. Confira oito estratégias sugeridas pela executiva para se ter uma liderança engajada com a igualdade de gênero e, assim, tornar o mercado corporativo mais justo e inclusivo para mulheres e homens.

Contrate por paixão, treine por habilidade

Pare de contratar cópias suas ou de seus colaboradores. Procure pessoas cujo currículo não se enquadre nos requisitos exigidos para o trabalho, alguém que não tenha a experiência ou as conexões necessárias, mas tenha tenacidade para aprender e continuar aprendendo. Prepare-as para o sucesso e ofereça um forte sistema de apoio.

Seja flexível as necessidades de cada fase da vida da sua equipe

Se você deseja que sua empresa atraia e retenha os melhores talentos, é necessário acomodar todas as fases da vida de sua equipe. Isso pode incluir uma colaboradora que está fazendo pós-graduação, um cuidador de um pai mais velho ou uma mãe que está voltando da licença maternidade. Todas essas são necessidades importantes e que exigem diferentes tipos de flexibilidade. Contanto que alguém esteja fazendo seu trabalho bem-feito, não deve importar o momento em que estão fazendo isso.

Torne a licença parental obrigatória

Encoraje todos os novos pais a tirarem licença parental e a dividirem a responsabilidade em casa. Desta maneira será possível criar oportunidades iguais no local de trabalho, e os cuidados não serão a principal responsabilidade das mulheres.

Incentive o cuidado com a saúde mental

Elimine o estigma da frase “saúde mental”. Ela não deve significar que há um problema, mas deve ser um tempo reservado para o autocuidado e a prevenção. Crie ou incentive a cultura de cuidado dentro de sua organização seja em sessões com um coach, uma bolsa para atividades de bem-estar ou um espaço tranquilo para as pausas durante o experiente.

Defina uma jornada flexível que não aumente a desigualdade no local de trabalho

Conforme as empresas adotam o modelo de trabalho híbrido, o viés de proximidade pode ocorrer. Ou seja, a liderança pode favorecer aquelas pessoas que passam mais tempo presencialmente e, com isso, aumentar a desigualdade no local de trabalho.

O ideal, respeitando as necessidades de cada membro da equipe, é que todos fiquem no escritório e trabalhem em casa a mesma quantidade de dias. Isso ajudará a garantir que mães e pais, com maior probabilidade de aproveitar as vantagens das jornadas flexíveis, não sejam deixados para trás.

Inclua outra pessoa da equipe nos processos seletivos

Para evitar algum viés inconsciente durante o processo seletivo, basta incluir outra pessoa da sua equipe e que não esteja ativamente envolvida com a função que está sendo contratada. Se o profissional for contratado, o membro do seu time poderá se tornar seu mentor e aliado, e não haverá conflito de interesses porque eles trabalharão em grupos diferentes.

Tenha mais de uma profissional mulher em sua equipe

As mulheres que são as “únicas”, como a única a ocupar um cargo de liderança ou a única do gênero feminino e que é mãe dentro de determinado setor, vivenciam um ambiente de trabalho mais estressante. Ao contratar ou promover, garanta que haja outras profissionais para que elas possam apoiar umas as outras em todos os níveis.

Elimine a disparidade salarial de gênero

Uma das formas de apoiar a igualdade de gênero no local de trabalho é eliminar a disparidade salarial entre mulheres e homens que exercem a mesma função. Torne essas informações públicas e não permita que fiquem apenas com a equipe de recursos humanos ou com a alta administração. Ser transparente com relação a esse tema demonstrará ao mercado o seu comprometimento em tornar a sua empresa um local justo.

Fonte: acionista

Graduada em Análise de Sistemas, com pós-graduação em Engenharia de Software, trabalho na área de desenvolvimento web, especialmente com diagramação de interface - UI e programação, utilizando as tecnologias: HTML, CSS, Javascript(Node e React), Bancos de dados relacionais e não relacionais e Wordpress.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.